Paraplegia em crianças



Mielomeningocele

O que é isso ?



Trata-se de malformação congênita em que ocorre um defeito de fechamento da parte posterior das vértebras, na linha média da coluna, com exposição da medula espinhal e raízes nervosas.

Com a exposição do tecido nervoso ao líquido amniótico, ocorre lesão definitiva da medula e raízes com consequente dano motor e sensitivo nos membros inferiores, cuja gravidade vai depender do local da medula acometido.

Pode se manifestar com perda parcial ou completa dos movimentos (paraplegia flácida).

Incidência e diagnóstico:

Estima-se que 1 em 1000 nascidos vivos apresentem mielomeningocele.

O diagnóstico é feito na vida intrauterina, com ultrassonografia pré-natal de rotina.



Por que ocorre?


Estudos comprovam que a deficiência de ácido fólico durante a gravidez está relacionado aos defeitos de fechamento da linha média. Portanto, a reposição de ácido fólico é recomendado para todas as gestantes.

Quais os locais da coluna acometidos ?

Geralmente o defeito localiza-se nos segmentos torácico, lombar ou sacral.

Dependendo da localização, teremos um maior ou menor comprometimento dos músculos dos membros inferiores com variados graus de paralisia motora e déficit sensitivo.

O que fazer ?



O ponto de vista ortopédico :

Logo que recebem alta da maternidade, as crianças devem ser examinadas pelo ortopedista pediátrica recomendação é para fechamento precoce do defeito da linha média por neurocirurgião.

Existem estudos em andamento, e centros médicos já realizando o fechamento durante a vida intrauterina.

Isto ainda não é realidade universal para nossa população e, no impedimento de fechamento do defeito ainda na vida intrauterina, recomenda-se que o parto seja cesariano, seguido de neurocirurgia para fechar o defeito o mais rápido possível.

Outro ponto importante é que, na mielomeningocele, existe comprometimento na drenagem do líquor (líquido que reveste o tecido nervoso), que predispõe ao acúmulo no cérebro gerando hidrocefalia.

Para evitar a hidrocefalia são implantados válvulas de derivação que drenam o líquor.

O tratamento :

É multidisciplinar. Precisa acompanhamento com ortopedista, neurocirurgião, pediatra, fisioterapeuta, urologista pediátrico – devido ao envolvimento de grupo de nervos responsável pela função da bexiga. As crianças terão bexiga neurogênica, ou seja, têm dificuldade de esvaziamento completo durante a micção, o que predispõe à infecções urinárias de repetição, se não tratadas. Apresentam ainda incontinência urinária.


Com o exame físico ortopédico determinamos :

– Os grupos musculares funcionantes e determinamos o grau de força desses músculos. Isso é feito com exame manual da força muscular.

– Avaliamos a amplitude de mobilidade das articulações (quadris, joelhos, pés).

– Determinamos a estabilidade dos quadris com as manobras provocativas.

– Identificamos as deformidades articulares fixas em todas as articulações.

– Deformidades na coluna vertebral.

– Diagnosticamos as deformidades congênitas dos pés sendo o pé torto uma das mais frequentes.

A capacidade de marcha :

Questionamento frequente dos pais tem relação com a capacidade de caminhar.

De uma forma geral, isso depende dos músculos que estão funcionando nos membros inferiores. Quanto mais músculos funcionantes existirem, melhor será a capacidade para marcha.

O quadríceps funcionantes, ou seja, o músculo do chute, é considerado o marcador para a marcha.

Crianças que têm quadríceps funcionando e com força muscular que permite contração e movimento vencendo a força da gravidade, são aquelas com boa capacidade de caminhar, desde que tenham suas deformidades corrigidas e usem órteses adequadamente. São os pacientes que serão andadores.

O tratamento ortopédico :

Precisamos entender que todas as crianças devem ter suas deformidades dos membros inferiores corrigidas, mesmo aquelas que não terão capacidade para marcha e portanto, serão cadeirantes.



O fato de serem cadeirantes não significa dizer que devem ficar com suas articulações deformadas e sem tratamento.

Precisamos investir nesse grupo de crianças, não com objetivo de fazê-las caminhar, mas sim com objetivo real de fazê-las ficarem em pé e sentadas adequadamente.

Para aquelas que caminham, as cirurgias visam permitir melhor marcha por maiores distâncias e com menor gasto de energia pela criança.

Benefícios da posição em pé :


– Melhora na qualidade óssea, pois o apoio do peso corporal fortalece ossos impedindo as fraturas por porose;

– Melhora a autoestima da criança que pode ficar posicionada como as outras mesmo com auxílio de aparelhos;

– Facilitar os cuidados domiciliares para transferência da cadeira, permite troca de passos com auxílio, em pequenas distâncias;

– Melhora na capacidade cardiorrespiratória;

– Melhora da drenagem urinária.

As cirurgias ortopédicas :

A filosofia moderna das cirurgias ortopédicas na mielomeningocele, visa múltiplas correções nos membros inferiores no mesmo ato operatório.

Para que os objetivos sejam alcançados, é muito importante o exame físico ortopédico na identificação de todos os problemas.

As cirurgias envolvem liberações de articulações deformadas além de correções ósseas, quando necessárias.


Dr. Maurício Rangel é formado em Medicina pela Faculdade Souza Marques (1994) e médico Ortopedista Pediátrico. Trabalha atualmente em consultórios com atendimento ambulatorial e cirurgias ortopédicas pediátricas eletivas. Especialista em diversas patologias musculoesqueléticas em crianças e adolescentes e cirurgias relacionadas.


As correções permitem que os quadris e joelhos fiquem esticados, para posição em pé, além de corrigir os pés para que a planta do pé toda toque o solo, postura plantígrada. As técnicas operatórias usadas mantém a amplitude de movimento das articulações.

O pós-operatório é feito com imobilização gessada por pequeno período, seguido do uso de órteses para manutenção das correções obtidas.

A fisioterapia :

Muito importante para a aquisição de aptidões motoras, alongamentos musculares, manutenção da amplitude de movimento articular e também para manutenção das correções cirúrgicas.

Estímulo ao posicionamento em pé e treino de marcha, seja assistido ou com auxílio de parapodium, andadores ou muletas, fazem parte do amplo tratamento fisioterápico para as crianças.


Criança e Saúde é um site colaborativo que possui a missão de ajudar pessoas a encontrarem informação sobre a saúde dos seus filhos. As informações publicadas neste site têm caráter meramente informativo e não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos e outros especialistas. Todos os direitos reservados ao Criança e Saúde. Proibido a reprodução do conteúdo deste site sem prévia autorização. A Redação do Criança e Saúde não se responsabiliza por conceitos emitidos em artigos assinados ou por qualquer conteúdo publicitário e comercial, sendo este último de inteira responsabilidade dos anunciantes.



O papel do ortopedista quando diante de um caso de mielomeningocele deve ser o de corrigir deformidades articulares, permitir a criança ficar em pé e dar condições esqueléticas para que consigam deslocamento por maiores distâncias possíveis para cada nível de envolvimento motor.

O tratamento é longo, porém recompensador, com os reais objetivos sendo alcançados, fazendo com que as crianças ganhem aptidões motoras.



Um abraço a todos




Dr. Maurício Rangel é formado em Medicina pela Faculdade Souza Marques (1994) e médico Ortopedista Pediátrico. Trabalha atualmente em consultórios com atendimento ambulatorial e cirurgias ortopédicas pediátricas eletivas. Especialista em diversas patologias musculoesqueléticas em crianças e adolescentes e cirurgias relacionadas.

Consultório: Barra Life

Av. Armando Lombardi, 1000 – sala 231, bloco 2, Barra da Tijuca | Rio de Janeiro

Telefone para contato: 3264-2232/ 3264-2239








Posts recentes

Ver tudo