Acidentes domésticos e os cuidados com a segurança em casa


Evitando tragédias


Acidentes domésticos são muito comuns e os riscos estão em toda a parte.

Estatísticas revelam que no Brasil, a principal causa de mortes em crianças são os acidentes.

Podem não resultar em morte mas, muitas vezes, estão relacionados à sequelas permanentes para o resto da vida com prejuízos físico, psicológico, social e econômico.

Acidentes domésticos não são raros.

Simples ações do dia a dia podem evitar grandes tragédias.

A chegada de um filho traz muita alegria para pais e toda a família, mas também muita responsabilidade na proteção, que deve iniciar desde recém nascido.

Principais tipos de acidentes domésticos:

– Asfixia

– Quedas

– Cortes

– Intoxicação

– Queimaduras

– Afogamento



Obstrução respiratória (asfixia)

É a principal causa de morte em crianças abaixo de 1 ano.

Como evitar o risco de asfixia?

O berço ideal:


Os cuidados começam com a escolha do berço.

As barras da grade de proteção não devem ter mais do que 5 cm de espaço entre elas, sob o risco da criança colocar a cabeça entre as barras e ficar presa tendo estrangulamento e asfixia.

O colchão deve ser firme e bem preso ao berço, sem embalagem plástica.

O bebê deve dormir de barriga para cima e coberto até o peito com lençol, que esteja preso embaixo do colchão. Os braços devem ser mantidos fora do lençol.

Remova brinquedos do berço na hora de dormir, isso evita que a criança os coloque na boca com risco de broncoaspiração e asfixia.

Nunca coloque chupeta presa com corda ao redor do pescoço da criança, pois a criança pode ser estrangulada pela corda da chupeta e ter asfixia.

A troca de fralda

Um dos acidentes que podem ocorrer nesse momento são as quedas, seja da cama, trocador ou qualquer bancada utilizada para esse fim. Quedas em bebês têm risco de traumatismo craniano, fraturas e suas consequências.

Tenha sempre em mãos todo o material necessário para a troca da criança, tenha certeza de que tudo está por perto e não descuide deixando a criança sem supervisão.

A hora do banho

A temperatura da água deve ser verificada antes de banhar a criança, evitando queimaduras.

Nunca deixe a criança sozinha na banheira sob o risco de afogamento. Estudos revelam que crianças podem se afogar com apenas 2,5cm de água.

A escolha dos brinquedos

Tenha sempre a preocupação de respeitar a indicação do fabricante quando as idades recomendadas para o brinquedo.

Evite brinquedos com peças pequenas que podem ser colocados na boca e a criança ter sufocamento por broncoaspiração.

As crianças que engatinham e ficam em pé sozinhas.


Com o deslocamento pela casa, o cuidado deve ser redobrado.

Ajuste a altura das grades do berço, evitando quedas.

As tomadas devem ser obstruídas com protetores específicos.





As quinas dos móveis devem ser protegidas e acolchoadas evitando os traumatismos.

As janelas e varandas devem ter redes de proteção.

Os móveis devem ficar afastados das janelas.

As cortinas e persianas não devem ter cordas, pois a criança pode enrolar a corda no pescoço e ter estrangulamento ou asfixia.



Manter vasos sanitários fechados é uma atitude importante, pois há relatos de afogamento por queda da criança com a cabeça dentro do vaso, sendo afogada pela água do vaso.



Os cuidados com casa que tem escada:



Devem ter portões nos acessos e mantidos fechados.

As portas da casa devem ser presas com prendedores no solo, para evitar que se fechem com correntes de ar e coloque a pequena criança em risco de traumas nas mãos (risco de amputação de dedos ou esmagamento) ou trauma craniano.




A cozinha:

Local frequente de acidentes.

Para cozinhar, use de preferência, as bocas de trás do fogão. Os cabos das panelas devem ficar virados para o interior do fogão, evitando que a criança pegue e derrame o conteúdo da panela sobre seu corpo. Nunca deixe os bicos do fogão ligados.




Facas e objetos cortantes devem ser guardados em gavetas altas e fora do alcance de crianças ou mantidas fechadas com chave.


Não manuseie líquidos quentes perto de crianças. Cuidado com café, chá, água fervendo.

Mantenha torradeiras, garrafa térmica fora do alcance de crianças.

As toalhas de mesa não devem ser compridas, pois tem risco da criança puxar e derrubar todo o conteúdo da mesa sobre elas.

Evitando intoxicações:


Mantenha medicamentos e produtos de limpeza fora do alcance de crianças, de preferência, em armários altos e com fecho.

Nunca armazene produtos de limpeza em recipientes de água mineral ou refrigerantes, pois a criança pode ingerir esses produtos por engano.

Produtos inflamáveis, principalmente álcool devem sempre estar fora do alcance.



A piscina:

Sempre com tela de proteção ou portões, impedindo o livre acesso.

Risco de afogamento é constante, um minuto de descuido é suficiente.

A principal causa para afogamento é a falta de supervisão.

Coloque bóias em crianças que não sabem nadar.

Outros cuidados:

Baldes devem ser guardados sempre vazios, nunca armazenado água e, de preferência, virados para baixo.

Cuidado com sacos plásticos, há relatos de acidentes com crianças colocando sacos na cabeça, não conseguindo retirá-los e sofrendo asfixia.

Ferro de passar roupa, nunca devem estar ligados sem supervisão ou no mesmo ambiente de crianças. Graves queimaduras podem ocorrer.

Mensagem:



Acidentes domésticos são mais comuns do que podemos imaginar.

Os riscos estão em toda a parte.

Informação, divulgação e cultura de prevenção são capazes de evitar cerca de 90% dos acidentes.

Crianças pequenas não têm capacidade de avaliar os perigos. Portanto, dê exemplo, ensine a criança a percepção do perigo.

Seu papel é fundamental na proteção.

Cuidados no ambiente domiciliar e informação para todos aqueles que lidam com a criança podem protegê-la e evitar graves acidentes.

Um abraço a todos!



Dr. Maurício Rangel é formado em Medicina pela Faculdade Souza Marques (1994) e médico Ortopedista Pediátrico. Trabalha atualmente em consultórios com atendimento ambulatorial e cirurgias ortopédicas pediátricas eletivas. Especialista em diversas patologias musculoesqueléticas em crianças e adolescentes e cirurgias relacionadas.

Consultório: Barra Life

Av. Armando Lombardi, 1000 – sala 231, bloco 2, Barra da Tijuca | Rio de Janeiro

Telefone para contato: 3264-2232/ 3264-2239



Posts recentes

Ver tudo