Criança tem Reumatismo?




Chamamos de Reumatismo as doenças que se manifestam por inflamação articular (conhecido como artrite) e dor crônica.

São comuns em pacientes idosos que apresentam dor de longa evolução, com episódios de piora aguda em determinados momentos, ocorrendo em articulações que sustentam o peso de corpo, como: quadril, joelho, tornozelo e coluna vertebral. São quadros que possuem uma evolução lenta, crônica, com grande prejuízo na qualidade de vida, dificultando a locomoção, deformando as articulações e exigindo tratamento prolongado.

O que a maioria da população não sabe é que Reumatismo também pode ocorrer em crianças e adolescentes.


Como suspeitar?

Crianças ou adolescentes com dor, inchaço, limitação de movimento articular, sem melhora com tratamento habitual, ou com melhora parcial e que tenha duração de 6 semanas ou mais. As principais articulações envolvidas são: joelhos, tornozelos, cotovelos e os pés.

Frequentemente, as crianças são atendidas diversas vezes sem que o diagnóstico adequado seja feito, assim sendo tratadas com analgésicos comuns sem obter melhora.

A principal causa de Reumatismo em criança é conhecida como Artrite Reumatóide Juvenil ou Artrite Idiopática Juvenil ( AIJ ).

Geralmente acomete crianças de baixa idade (entre 1 à 4 anos), com um segundo pico entre as idades de 9 à 14 anos. Com relação ao número de articulações envolvidas, podemos ter desde uma articulação (chamada de monoarticular) até várias articulações (poliarticular).


Quadro clínico

Dor na articulação envolvida, claudicação (mancar), inchaço podendo ou não ter vermelhidão associada. Pode evoluir para incapacidade de caminhar. Nas formas mais comuns não há febre, perda de apetite ou alteração no estado geral.

Qual é a história natural?

A demora no tratamento adequado submete as articulações à lesões cartilaginosas progressivas, com resultante diminuição do movimento e deformidade o que torna muito difícil a marcha.

Para o diagnóstico é fundamental alto grau de suspeita do médico assistente. Exame físico, acompanhado de exames de laboratório específicos e de imagem, que são capazes de fazer o diagnóstico adequado. Quanto mais cedo o diagnóstico for feito, melhores serão os resultados do tratamento.

Como tratar?

– Tratamento medicamentoso

– Tratamento fisioterápico

– Tratamento cirúrgico

O tratamento medicamentoso é feito pelo Reumatologista Pediátrico. São usados medicamentos de uso via oral, outros injetáveis e até infiltração intra-articular.

As infiltrações articulares em crianças de baixa idade devem ser feitas em centro cirúrgico, ambiente estéril, com a criança anestesiada. Tem por objetivo melhora por tempo prolongado, diminuindo com isso os efeitos colaterais das medicações de uso sistêmico. Pode ser necessária mais de uma infiltração, com intervalos predeterminados pelo Reumatologista.

Fisioterapia é muito importante nas fases iniciais da patologia, visando manter o arco de movimento e evitando o surgimento de deformidades.

Tratamento cirúrgico

Realizado pelo Ortopedista Pediátrico em casos bem selecionados. Pode ser feito em casos onde o tratamento medicamentoso isolado não é suficiente para controlar a inflamação. Por via artroscópica retira-se o tecido articular inflamado, procedimento conhecido como Sinovectomia. Com os medicamentos usados atualmente e, principalmente, com a infiltração intra-articular, o controle da inflamação tem sido satisfatório, diminuindo com isso as indicações cirúrgicas no início da patologia.

A maioria das indicações cirúrgicas atuais é reservada para sequelas articulares, que são cirurgias tendinosas ou ósseas, visando corrigir deformidades e o reposicionando articulações para que a criança possa ter melhora na marcha (alongamentos tendinosos com ou sem osteotomias de realinhamento).

Outra opção cirúrgica são as substituições articulares por próteses, são cirurgias de salvamento, só realizadas em idades mais avançadas, em articulações dolorosas, rígidas e refratárias aos outros métodos de tratamento.

Portanto, Reumatismo existe em crianças. O diagnóstico muitas vezes é difícil e tardio. O tratamento é multidisciplinar. Frequentemente, o primeiro médico a examinar a criança é o Ortopedista. Suspeitar é fundamental para o diagnóstico precoce. O tratamento medicamentoso é organizado pelo Reumatologista. Fisioterapeuta tem seu papel na manutenção do movimento e o Ortopedista atua em fases tardias, corrigindo sequelas articulares com cirurgias.



Dr. Maurício Rangel é formado em Medicina pela Faculdade Souza Marques (1994) e médico Ortopedista Pediátrico. Trabalha atualmente em consultórios com atendimento ambulatorial e cirurgias ortopédicas pediátricas eletivas. Especialista em diversas patologias musculoesqueléticas em crianças e adolescentes e cirurgias relacionadas.


Consultório: Barra Life

Av. Armando Lombardi, 1000 – sala 231, bloco 2, Barra da Tijuca | Rio de Janeiro

Telefone para contato: 3264-2232/ 3264-2239



0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo