Esporte seguro






A prática esportiva é extremamente importante para todos nós, independente da idade. Devemos tomar cuidado, pois se não houver avaliação física adequada, corremos riscos.

BENEFÍCIOS DA PRÁTICA ESPORTIVA:

– Desenvolvimento de habilidades motoras;

– Melhora na coordenação;

– Equilíbrio;

– Desenvolvimento do aparelho cardiovascular;

– Socialização;

– Disciplina;

– Liderança;

– Autoestima

A iniciação esportiva em crianças geralmente se faz na escola e de forma lúdica. O papel dos professores de educação física é fundamental na apresentação dos esportes contidos no currículo escolar, suas regras e fundamentos básicos. Esses professores desempenham papel ímpar também na intensidade dos treinamentos, respeitando os limites de cada um, permitindo acima de tudo que a atividade física seja prazerosa, divertida e segura para o praticante. O trabalho do profissional de educação física junto ao médico do esporte é essencial.

A performance não é importante!

Percebo que alguns pais projetam em seus filhos a expectativa de serem atletas de elite, bem sucedidos e famosos na modalidade esportiva, mas esquecem de procurar saber se esse é o desejo da criança. Ou pior, escolhem o esporte que deverá ser praticado, sem saber se é o que agrada a criança e se ela tem vocação.

Assim os pais acabam cobrando excessivamente a performance, prejudicando o desempenho do jovem. A sobrecarga de treinamento também acaba levando ao prejuízo emocional e desmotivação do menor com o esporte.

É importante que as famílias saibam que a definição do esporte a ser seguido se faz de forma natural. Depende das habilidades motoras da criança e da motivação que ella tem em praticar determinado esporte. A escolha não deve ser imposta pela família.

AVALIAÇÃO FÍSICA

Do ponto de vista clínico é importante que crianças e adolescentes passem por avaliação médica pré-participação esportiva. Não só para aqueles que vão fazer esporte de forma competitiva e regular, como para aqueles que praticam de forma recreativa.

Por quê?

O objetivo é identificar problemas de saúde que podem colocar o jovem em risco durante o exercício, definir aqueles que podem fazer esporte competitivo sem restrição e, principalmente, identificar patologias do coração que levem ao risco de morte súbita, onde miocardiopatia hipertrófica é a principal causa, sendo silenciosa na maioria dos jovens.

A avaliação é feita sempre na presença dos responsáveis e deve incluir história clínica detalhada dos antecedentes familiares como, por exemplo, presença de patologias cardíacas em parentes de primeiro grau; saber se criança já teve desmaios ou tontura durante esforço físico; falta de ar desproporcional ao esforço físico realizado ou dor torácica; presença de sopros na ausculta do coração.

O exame físico deve incluir ausculta do coração, aferição da pressão arterial e frequência cardíaca.

Exames Complementares

Há divergência de opiniões entre a Sociedade Americana e a Europeia de cardiologia, porém eletrocardiograma de repouso é o padrão a ser realizado.

90% dos casos de patologias cardíacas de risco haverá alterações no exame.

Outros exames só devem ser feitos se história clínica ou exame físico apresentarem alterações que justifiquem.

Com esses dados, podemos autorizar a prática esportiva com segurança, ou encaminhar casos com patologia para tratamento adequado.

Exame Ortopédico

Do ponto de vista locomotor, o exame físico tem como objetivo identificar alterações que podem predispor a lesões durante o exercício e orientar o profissional de educação física no seu trabalho no sentido de prevenção de lesões do esporte. Devem ser observados:

– Alinhamento e comprimento dos membros inferiores;

– Mobilidade das articulações;

– Flexibilidade muscular;

– Estabilidade de joelhos e tornozelos;

– Formato dos pés;

– Padrão de marcha;

– Avaliação da coluna vertebral e identificação de escolioses ou desnível na pelve;

– História clínica de lesões prévias e seus tratamentos realizados.

Com que frequência deve ser feita a avaliação física?

A recomendação é que seja feita a cada 2 anos. Infelizmente, vemos que nem todos os lugares onde há prática esportiva exigem a avaliação médica antes da iniciação de esportes. Vemos também alguns profissionais que fornecem atestados sem terem o trabalho de examinarem e avaliarem adequadamente o jovem.

Obs.Não podemos generalizar. Existem ótimos profissionais, que fazem um trabalho digno e de responsabilidade. Temos que valorizá-los e enaltecê-los.

É importante que a sociedade tenha isso em mente e sempre questione se o estabelecimento onde o esporte está sendo praticado se preocupa com a saúde e a segurança do praticante.

Devo lembrar que qualquer esporte tem risco, porém, será mínimo se respeitarmos as orientações quanto avaliação médica pré-participação, condicionamento e treinamento físico adequado, uso dos equipamentos de segurança da modalidade, boa alimentação e respeito aos limites do corpo com descanso necessário para recuperação do treino. Esporte deve ser usado como um instrumento de promoção da saúde.




Dr. Maurício Rangel é formado em Medicina pela Faculdade Souza Marques (1994) e médico Ortopedista Pediátrico. Trabalha atualmente em consultórios com atendimento ambulatorial e cirurgias ortopédicas pediátricas eletivas. Especialista em diversas patologias musculoesqueléticas em crianças e adolescentes e cirurgias relacionadas.

Consultório: Barra Life

Av. Armando Lombardi, 1000 – sala 231, bloco 2, Barra da Tijuca | Rio de Janeiro

Telefone para contato: 3264-2232/ 3264-2239



0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

JUNTE-SE

Seu conhecimento é muito grande para ficar apenas no consultório. Venha fazer parte da nossa rede de especialistas. 

FIQUE POR DENTRO

Criança e Saúde é um site colaborativo que possui a missão de ajudar pessoas a encontrarem informação sobre a saúde dos seus filhos. As informações publicadas neste site têm caráter meramente informativo e não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos e outros especialistas. Todos os direitos reservados ao Criança e Saúde. Proibido a reprodução do conteúdo deste site sem prévia autorização. A Redação do Criança e Saúde não se responsabiliza por conceitos emitidos em artigos assinados ou por qualquer conteúdo publicitário e comercial, sendo este último de inteira responsabilidade dos anunciantes.

© 2023 Criança e Saúde Todos os direitos reservados.