O pé plano doloroso da criança e adolescente: conhecendo uma das causas



Dor na face interna dos pés planos de crianças e adolescentes é uma queixa comum.

Uma causa frequente de dor nessa região é a presença de um ossículo anômalo e em excesso, conhecido como navicular acessório.

Trata-se de uma patologia congênita, em que esse ossículo anômalo provoca um aumento de volume local (caroço) na parte interna do pé com dor à palpação, dificuldade para usar calçados fechados e caminhar

.

Esse ossículo localiza-se na região interna do pé, onde deveria existir o arco medial, ou seja, a “curvinha do pé”.

É mais comum em meninas, na proporção de 2:1 em relação aos meninos.

10 a 14% da população tem esse osso acessório, podendo ou não ter sintomas.

As queixas surgem geralmente entre 8 a 14 anos de idade.

A origem da dor:




– Traumatismo no pé é o responsável por iniciar os sintomas, em 15% dos casos.

– Entorses do pé podem precipitar o quadro doloroso.

– Pode ser provocada também por atrito do calçado em encontro ao ossículo acessório (caroço na parte interna do pé).

O aspecto do pé:



Na grande maioria das vezes, o que chama atenção é a ausência do arco medial do pé.

Encontramos então, um pé plano doloroso na criança ou adolescente.

A criança é capaz de mostrar com o dedo, o exato local da dor, que coincide com o caroço medial no pé.

O exame físico da mobilidade dos pés permanece normal, sendo essa uma característica importante para a suspeita diagnóstica.

A confirmação diagnóstica:



É feito com exame de imagem radiológico dos pés.

Lembro sempre que a patologia pode ser bilateral, porém nem sempre os dois pés tem sintomas.

A simples presença do osso acessório, não indica a necessidade de tratamento.

Preocupação só deve existir nos casos dolorosos.

O tratamento:



O navicular acessório como patologia isolada, deve ser tratado inicialmente de forma conservadora.

Quando a patologia é descoberta após um traumatismo agudo nos pés, frequentemente, um período de imobilização gessada é necessário para o repouso adequado.

– Medicamentos analgésicos;

– Mudanças nos calçados utilizados;

– Utilização de superfícies macias para apoio dos pés;

– Suporte para o arco medial do pé;

– Fisioterapia visando alongamento das estruturas tendinosas aderidas ao osso acessório;

São os recursos mais utilizados para o tratamento inicial.

A cirurgia:

Só deve ser indicada em falha do tratamento conservador.

Persistência de dor, apesar da medidas conservadoras, prejudicando as atividades diárias e a prática esportiva.

Tem como único objetivo, conseguir alívio dos sintomas dolorosos.

Não deve ser utilizado com o objetivo de correção do pé, que na maioria das vezes é plano.

Existem várias possibilidades cirúrgicas, sendo a ressecção do ossículo acessório, uma excelente opção, com ótimos resultados e rápida recuperação pós-operatória.

Conclusões:

Navicular acessório é uma possibilidade diagnóstica frequente em pés planos dolorosos em crianças e adolescentes.

É o mais frequente osso acessório encontrado nos pés.

Ter um osso acessório nos pés, nem sempre é um problema, pois algumas crianças não desenvolvem sintomas.

Uma característica importante é a preservação dos movimentos do pé, quando examinados, na consulta.

Com o tratamento adequado, conseguimos pés sem sintomas preservando a sua função.





Um abraço a todos!



Dr. Maurício Rangel é formado em Medicina pela Faculdade Souza Marques (1994) e médico Ortopedista Pediátrico. Trabalha atualmente em consultórios com atendimento ambulatorial e cirurgias ortopédicas pediátricas eletivas. Especialista em diversas patologias musculoesqueléticas em crianças e adolescentes e cirurgias relacionadas.

Consultório: Barra Life

Av. Armando Lombardi, 1000 – sala 231, bloco 2, Barra da Tijuca | Rio de Janeiro

Telefone para contato: 3264-2232/ 3264-2239




Criança e Saúde

Criança e Saúde é um site colaborativo que possui a missão de ajudar pessoas a encontrarem informação sobre a saúde dos seus filhos. As informações publicadas neste site têm caráter meramente informativo e não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos e outros especialistas. Todos os direitos reservados ao Criança e Saúde. Proibido a reprodução do conteúdo deste site sem prévia autorização. A Redação do Criança e Saúde não se responsabiliza por conceitos emitidos em artigos assinados ou por qualquer conteúdo publicitário e comercial, sendo este último de inteira responsabilidade dos anunciantes.



contato@criancaesaude.com





4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo