Paralisia Cerebral: os benefícios da terapia com Botox





Crianças com paralisia cerebral apresentam algumas dificuldades motoras musculoesqueléticas, que precisam ser tratadas, pois apresentam história natural para piora progressiva com o crescimento e desenvolvimento.

As dificuldades apresentadas causam atraso na aquisição de habilidades motoras e distúrbios na marcha, naquelas crianças com este potencial.

Os problemas motores pode ser de origem primária, ou seja, diretamente relacionados à lesão no sistema nervoso central ou secundárias, ou seja, aqueles problemas articulares que se desenvolvem lentamente com o crescimento da criança.

PROBLEMAS PRIMÁRIOS:

Na paralisia cerebral espástica as crianças apresentam:

Aumento do tônus muscular, também chamado de espasticidade, ou seja, uma situação em que os músculos ficam contraídos constantemente e involuntariamente devido à lesão no sistema nervoso central, prejudicando o posicionamento adequado das articulações para a realização dos movimentos diários como os para a locomoção;

Prejuízo no equilíbrio;

Prejuízo na força muscular;

Comprometimento da coordenação motora para a execução dos movimentos.



PROBLEMAS SECUNDÁRIOS:

São aqueles que ocorrem lentamente nas articulações, em função do crescimento da criança e da ação da espasticidade no sistema músculo-esquelético. Neste caso, as crianças apresentam:

Contraturas articulares fixas devido ao encurtamento irredutível dos grupos musculares espásticos;

Deformidades ósseas, gerando alterações rotacionais femorais (osso da coxa), tibiais (osso da perna) e deformidades nos pés.

Todas as crianças apresentarão estes problemas em maior ou menor grau, pois a história natural osteoarticular é de lenta progressão de deformidades.

TRATAMENTO

O objetivo do tratamento ortopédico das crianças com paralisia cerebral é o de minimizar todas essas influências negativas no sistema musculoesquelético, permitindo à criança ganhar aptidões, desempenho motor e independência.

Tendo isso em mente, o tratamento da criança deve ser iniciado precocemente e de forma conservadora, ou seja, não operatória.

O tratamento conservador é feito com fisioterapia motora, terapia ocupacional, utilização de órteses para manutenção do posicionamento articular adequado e prevenção de deformidades, terapia regular com Botox e medicamentosa para controle sistêmico da espasticidade.

– A Fisioterapia tem ênfase na realização de exercícios de alongamento muscular, fortalecimento, propriocepção e melhora no equilíbrio corporal.



As Órteses devem ser usadas em caráter diurno e noturno com intuito de prevenir o surgimento de contraturas, posicionar adequadamente o membro para a função e permitir o treino de marcha e propriocepção.



A Terapia com Botox: Trata-se de um medicamento injetável, com ação direta sobre aquele músculo em que foi aplicado, promovendo a diminuição do tônus muscular excessivo, ou seja, promove o relaxamento muscular, permitindo o posicionamento adequado das articulações para que a criança possa continuar sua evolução no sentido de ganhar aptidões motoras.



– Sua utilização facilita o trabalho fisioterápico pois, menos resistência será necessário para promover os alongamentos musculares;

– Permite correção de deformidades como a marcha na ponta dois pés, joelhos fletidos e a dificuldade na abertura dos quadris e também facilita a utilização do membro superior para a preensão;

– Facilita a aceitação das órteses por parte da criança, pois com o relaxamento muscular, o membro consegue ser melhor posicionado dentro do aparelho;

– Adia as indicações de cirurgia, pois com a terapia regular, os músculos ficam mais relaxados e as deformidades fixas surgem mais tardiamente.

Como é feita a aplicação?

A aplicação é sempre feita em ambiente hospitalar, no centro cirúrgico, com a criança sob anestesia geral inalatória, no sistema de day-clinic, ou seja, tem alta no mesmo dia da aplicação.



Por que a anestesia geral é necessária?

A aplicação é feita em vários grupos musculares, no mesmo ato e, portanto, a criança recebe várias injeções, uma em cada músculo a ser tratado.

A anestesia tem duas funções principais:

– Garante a realização das várias injeções sem dor ou trauma psíquico para a criança;

– Permite conforto ao ortopedista pediátrico, que consegue posicionar as agulhas no exato ponto de aplicação permitindo o resultado terapêutico ideal;

– Permite a utilização do eletroestimulador, ou seja, um aparelho que permite através de pequenos estímulos elétricos, a contração muscular, garantindo assim o exato posicionamento da agulha para a realização da aplicação.

Os principais músculos aplicados e o efeito esperado da terapia com Botox:

– Músculos da panturrilha:

A principal indicação é para correção da marcha na ponta dos pés ou marcha em equino, com o botox conseguimos relaxamento muscular adequado, permitindo os calcanhares tocarem o chão na fase de apoio da marcha, melhorando o equilíbrio e o desempenho motor.



– Músculos posteriores da coxa:

A principal indicação é a de promover a correção da deformidade em flexão dos joelhos, ou seja, corrigir a dificuldade da criança em esticar o joelhos para o posicionamento em pé. Com o botox, conseguimos relaxar esses músculos e assim, a criança fica em pé melhor, podendo inclusive, intensificar a troca de passos.

– Músculos da virilha:

A principal indicação é correção da dificuldade da criança em abrir os quadris e correção da postura em “tesoura” das pernas, quando a criança tenta dar o passo (cruzando uma perna sobre a outra). O remédio relaxa a musculatura adutora, protege os quadris e melhora o desempenho motor e a troca de passos.

No membro superior:

– Músculo Bíceps braquial:

Principal indicação é o de corrigir a postura em flexão do cotovelo. O remédio permite o relaxamento muscular e a melhor extensão do cotovelo para a independência do membro superior.

– Músculos flexores dos dedos da mão:

A principal indicação é a correção da deformidade em garra dos dedos da mão e polegar. O remédio permite a abertura dos dedos da mão melhorando as funções de preensão da criança.



– Músculo pronador do antebraço:

A principal indicação é a correção de uma deformidade do antebraço, que dificulta o posicionamento da palma da mão para cima, pois a contratura dificulta o movimento de rotação do antebraço.

A correção da contratura em pronação permite a criança levar a mão à boca com mais facilidade, podendo inclusive, treinar com a fisioterapia a independência para alimentação.

Quando devemos iniciar a terapia?

Depende do grau de espasticidade da musculatura e dos prejuízos provocados, mas a partir de 18 meses as crianças já estão aptas para o início da terapia com botox. O tratamento é feito de forma contínua, a intervalos semestrais. Não adianta fazer uma aplicação isoladamente. A criança precisa de acompanhamento ortopédico regular para que, a cada 6 meses, repita a aplicação, podendo ou não ser nos mesmos músculos aplicados inicialmente.

Quando interromper o tratamento?

O botox deve ser utilizado sempre que as deformidades forem flexíveis. Quando a criança apresentar deformidades fixas e irredutíveis, devido ao encurtamento muscular inveterado, ou quando já existirem deformidades ósseas estabelecidas, a terapia com botox deve ser interrompida e as indicações de cirurgia e correção definitiva das deformidades devem ser realizadas.

Na paralisia cerebral espástica conseguimos, com a terapia regular utilizando botox, adiar as indicações de cirurgia, além de impedir o surgimento de deformidades graves e de difícil resolução mesmo com cirurgia.






Um abraço a todos!


Dr. Maurício Rangel é formado em Medicina pela Faculdade Souza Marques (1994) e médico Ortopedista Pediátrico. Trabalha atualmente em consultórios com atendimento ambulatorial e cirurgias ortopédicas pediátricas eletivas. Especialista em diversas patologias musculoesqueléticas em crianças e adolescentes e cirurgias relacionadas.

Consultório: Barra Life

Av. Armando Lombardi, 1000 – sala 231, bloco 2, Barra da Tijuca | Rio de Janeiro

Telefone para contato: 3264-2232/ 3264-2239




Criança e Saúde

Criança e Saúde é um site colaborativo que possui a missão de ajudar pessoas a encontrarem informação sobre a saúde dos seus filhos. As informações publicadas neste site têm caráter meramente informativo e não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos e outros especialistas. Todos os direitos reservados ao Criança e Saúde. Proibido a reprodução do conteúdo deste site sem prévia autorização. A Redação do Criança e Saúde não se responsabiliza por conceitos emitidos em artigos assinados ou por qualquer conteúdo publicitário e comercial, sendo este último de inteira responsabilidade dos anunciantes.



contato@criancaesaude.com





1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo