Por que crianças têm dor noturna nas pernas?



Dor noturna nos membros inferiores é uma queixa comum nas consultas ortopédicas pediátrica.

Estabelecer a causa exata para o problema não é uma tarefa fácil.

Saber as características da dor, sua localização, a frequência em que ocorre, presença ou não de sinais inflamatórios locais, o estado geral da criança e o exame da marcha com principal atenção para possível claudicação (mancar), nos darão pistas sobre as possibilidades de diagnóstico.

Dentre as diversas possibilidades, devemos sempre ter em mente o diagnóstico de osteoma osteóide.

O que é osteoma osteóide?


Trata-se de uma lesão óssea benigna ativa, pequena, que compromete os ossos longos principalmente dos membros inferiores, ou seja, o fêmur (osso da coxa) e a tíbia (osso da perna).

Acomete crianças e adolescentes.

Clinicamente, caracteriza-se por dor intermitente no segmento acometido, que piora a noite, muitas vezes, acordando a criança e exigindo inclusive uso de analgésico para amenizar a queixa.

O estado geral da criança permanece inalterado mas há, frequentemente, leve e sutil claudicação (mancar) na marcha.

No exame físico ortopédico, frequentemente, conseguimos localizar o segmento acometido pela dor (fêmur ou tíbia), pois a dor pode ser provocada por manobras específicas.


A suspeita diagnóstica, só pode ser confirmada com a realização de exames de imagem, sendo a radiografia simples e a tomografia os mais indicados.

O diagnóstico pode ser feito com a combinação de história clínica, exame físico específico e exames de imagem.

Geralmente, não há necessidade de biópsia para a confirmação.

O que encontramos no exame de imagem?

A imagem típica caracteriza-se por uma área central escura, chamada de “nidus”, rodeada por uma área esclerótica, ou seja, branca, que representa osso normal, pois a lesão é produtora de osso.



Note a área escura central rodeada por área branca periférica

Outra característica encontrada é a de ser uma lesão pequena e bem delimitada.

A lesão não enfraquece o osso e, portanto, não leva à fratura dita patológica, ou seja, aquela provocada por trauma de baixa intensidade em osso acometido por patologia prévia.

O principal problema da lesão é a dor incapacitante para a criança que necessita de tratamento.



Quais as principais modalidades de tratamento?

O tratamento depende da localização da lesão e da intensidade dos sintomas.

A principal modalidade existente é a ressecção cirúrgica do “nidus” (área central da lesão), com o procedimento sendo realizado sob controle de intensificador de imagem.

Em lesões de difícil acesso cirúrgico, há a possibilidade de ablação térmica do “nidus” (área central da lesão), com radiofrequência, em procedimento feito sob anestesia e guiado por tomografia computadorizada para o exato posicionamento do cateter de radiofrequência.

O prognóstico é bom, evoluindo para a cura completa da lesão e sintomas, desde que o “nidus” seja ressecado completamente.

Recorrências podem ocorrer se a ressecção cirúrgica da área central da lesão for incompleta.


Conclusões:

Fazer o diagnóstico exato para a dor noturna nos membros inferiores de crianças nem sempre é uma tarefa fácil.

Existem diversas possibilidades de diagnóstico diferencial para a mesma queixa.

Somente através de consulta ortopédica detalhada com história clínica, exame físico específico e exames de imagem, chegaremos a causa exata.

O osteoma osteóide deve ser sempre incluído como uma dessas possibilidades de diagnóstico.




Um abraço a todos!


Dr. Maurício Rangel é formado em Medicina pela Faculdade Souza Marques (1994) e médico Ortopedista Pediátrico. Trabalha atualmente em consultórios com atendimento ambulatorial e cirurgias ortopédicas pediátricas eletivas. Especialista em diversas patologias musculoesqueléticas em crianças e adolescentes e cirurgias relacionadas.

Consultório: Barra Life

Av. Armando Lombardi, 1000 – sala 231, bloco 2, Barra da Tijuca | Rio de Janeiro

Telefone para contato: 3264-2232/ 3264-2239




Criança e Saúde

Criança e Saúde é um site colaborativo que possui a missão de ajudar pessoas a encontrarem informação sobre a saúde dos seus filhos. As informações publicadas neste site têm caráter meramente informativo e não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos e outros especialistas. Todos os direitos reservados ao Criança e Saúde. Proibido a reprodução do conteúdo deste site sem prévia autorização. A Redação do Criança e Saúde não se responsabiliza por conceitos emitidos em artigos assinados ou por qualquer conteúdo publicitário e comercial, sendo este último de inteira responsabilidade dos anunciantes.



contato@criancaesaude.com





JUNTE-SE

Seu conhecimento é muito grande para ficar apenas no consultório. Venha fazer parte da nossa rede de especialistas. 

FIQUE POR DENTRO

Criança e Saúde é um site colaborativo que possui a missão de ajudar pessoas a encontrarem informação sobre a saúde dos seus filhos. As informações publicadas neste site têm caráter meramente informativo e não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos e outros especialistas. Todos os direitos reservados ao Criança e Saúde. Proibido a reprodução do conteúdo deste site sem prévia autorização. A Redação do Criança e Saúde não se responsabiliza por conceitos emitidos em artigos assinados ou por qualquer conteúdo publicitário e comercial, sendo este último de inteira responsabilidade dos anunciantes.

© 2023 Criança e Saúde Todos os direitos reservados.